João Pessoa, 17 de Agosto de 2017

11 de Janeiro de 2017

Internautas estão criando uma bolsa de valores para memes

Internautas estão criando uma bolsa de valores para memes

 Agora, segundo reporta o The Verge, 12 pessoas resolveram tornar a ideia mais profissional com o desenvolvimento de uma plataforma chamada NASDANQ. Ela servirá para a construção de uma infraestrutura financeira na qual os memes serão interpretados como ações. Liderados por Brandon Wink e Ron Vaisman, eles querem estudar esse fenômeno de comunicação de uma forma que seja possível precificar os memes de acordo com seu poder cultural.

A NASDANQ não envolverá dinheiro de verdade, e sim uma moeda própria. Como acontece no Banco Imobiliário, cada jogador entrará ganhando uma quantia (neste caso, 1.000 unidades do dinheiro) para dar início à sua carreira. Grupos podem se juntar para montar uma firma, e cada firma escolherá memes para inclusão na bolsa. Se um meme for indicado por várias firmas diferentes, ele entra no sistema financeiro e passa a ter seu valor disputado com base em critérios de popularidade e impacto cultural. Haverá três categorias de memes: “penny stocks” (não muito populares), memes de texto (quando o texto é sempre igual, mas a imagem muda) e os baseados em imagem (o oposto do item anterior).

Em entrevista ao Verge, Vaisman reconheceu que a ideia causará polêmicas, já que cada internauta interpreta a valorização e a desvalorização de um meme de formas diferentes. “Como se distingue algo tão único em uma ponta e então como você quantifica isso objetivamente?”, questiona-se.

O criador pode achar que, quando seu meme começa a aparecer demais, a bolha está próxima do estouro e, portanto, seu valor tende a diminuir. Por outro lado, quando ganha o mainstream, o meme atinge uma nova gama de internautas e tende a se tornar mais popular — o que, para aquelas pessoas, pode significar que ele é mais valioso. “A cultura é, em si, muito resistente à legitimidade”, comentou Wink. “Há este sentimento geral de que crescer é uma sentença de morte. Mas em outras comunidades, por exemplo, pessoas que só visitam o Facebook, para eles não é tipo: ‘Oh, se eu vir isso [o meme], está morto’, é mais: ‘Oh, isso está apenas começando e eu estarei vendo [o meme] com muito mais frequência’.”

Além disso, há que se considerar que memes têm uma tendência a ressurgir, o que significa que um que tenha sido dado como morto neste ano pode acabar ganhando uma nova roupagem no ano que vem e, consequentemente, um novo valor.

O grupo começou a trabalhar no desenvolvimento dessa plataforma em agosto passado. “Está levando algum tempo [para ficar pronta]”, reconhece Vaisman. Ele disse ao Verge que a NASDANQ contará com um site e aplicativos móveis. O sistema será baseado em algoritmos e os desenvolvedores já adiantam que é provável que vários bugs tenham de ser corrigidos no período após o lançamento. Só que ainda não há uma data para isso acontecer.

Redação com Olhar Digital



Enviar Comentário

O portal PB Agora esclarece aos internautas que o espaço democrático reservado aos comentários é uma extensão das redes sociais e, portanto, não sendo de responsabilidade deste veículo de comunicação. É válido salientar que qualquer exagero, paixão política e infrações à legislação são de responsabilidade de cada usuário, que possui sua própria conta na rede social para se manifestar, não tendo o PB Agora gerenciamento para aprovar, editar ou excluir qualquer comentário. Use o espaço com responsabilidade.