João Pessoa, 18 de Outubro de 2017

20 de Abril de 2017

Gilmar diz que justiça brasileira "não é a 13ª vara de Curitiba"

Gilmar diz que justiça brasileira "não é a 13ª vara de Curitiba"

Diante de reclamações sobre a demora do Supremo Tribunal Federal (STF) para julgar processos da Operação Lava Jato e de comparações com o tempo dos julgamentos na justiça de primeira instância, a qual pertence o juiz federal Sérgio Moro, o ministro Gilmar Mendes respondeu que "Curitiba não é o padrão".

"O Judiciário brasileiro de primeira instância não é a 13ª vara de Curitiba. Curitiba não é o padrão. E nem é o padrão da Justiça federal. O Moro está trabalhando sob condições especialíssimas, só faz isso", alfinetou Gilmar, também presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), segundo a Folha de S.Paulo desta quinta-feira (20).

Gilmar, que deu a declaração em um seminário sobre Direito em Lisboa, disse que quem merece elogio é o tribunal federal do Paraná, "que deu a Moro condições para que ele ficasse só fazendo isso" e que esse "não é o caso de todos os juízes que têm competências mais diversas", argumentou o ministro, lembrando, ainda, que o foro privilegiado colocou as denúncias de "praticamente metade do Congresso" com a Corte Suprema.

"Hoje nós temos praticamente metade do Congresso, talvez algo mais, investigada no Supremo Tribunal Federal. Esse é um dado estatístico inescapável, nós temos que discutir [a redução do foro privilegiado].", disse Gilmar.


Jornal do Brasil

foto: Nelson Jr / SCO / STF / VEJA



Enviar Comentário

O portal PB Agora esclarece aos internautas que o espaço democrático reservado aos comentários é uma extensão das redes sociais e, portanto, não sendo de responsabilidade deste veículo de comunicação. É válido salientar que qualquer exagero, paixão política e infrações à legislação são de responsabilidade de cada usuário, que possui sua própria conta na rede social para se manifestar, não tendo o PB Agora gerenciamento para aprovar, editar ou excluir qualquer comentário. Use o espaço com responsabilidade.