João Pessoa, 24 de Setembro de 2017

05 de Setembro de 2017

Coreia diz que 'mais pacotes de presente' estão rumo aos EUA

A  Coreia do Norte disse nesta terça-feira (5) que endereçou recentemente um "pacote de presente" aos Estados Unidos, e que mais virão em seguida. Han Tae Song, embaixador da Coreia do Norte na Organização das Nações Unidas, em Genebra, fez a declaração em pronunciamento à Conferência do Desarmamento promovida pela ONU, dois dias depois que seu país conduziu seu sexto e maior teste nuclear até o momento.

"As recentes medidas de autodefesa do meu país são pacotes de presente endereçados a ninguém mais que os EUA", disse Han, ao fórum.

"Os Estados Unidos continuarão a receber mais pacotes de presente do meu país enquanto continuarem recorrendo a provocações imprudentes e tentativas fúteis de colocar pressão na Coreia do Norte", disse, segundo a Reuters.

Em sua conta no Twitter, o presidente dos EUA, Donald Trump, disse que vai permitir a venda de uma grande quantidade de "equipamentos militares sofisticados" ao Japão e à Coreia do Sul, aliados norte-americanos que estão geograficamente perto da Coreia do Norte.

Na segunda-feira, os EUA pediram "as medidas mais duras possíveis" contra a Pyongyang. "Apenas as sanções mais duras vão nos possibilitar resolver esse problema pela diplomacia", alegou a embaixadora dos EUA na organização, Nikki Haley, em uma reunião de emergência do órgão, segundo a France Presse.

"Essa crise vai além da ONU", disse Haley, que indicou que os EUA considerarão os países que façam negócios com a Coreia do Norte como órgãos que "prestam ajuda às temerárias e perigosas intenções nucleares de Pyongyang".

Bomba H O governo da Coreia do Norte anunciou na madrugada deste domingo (3) que realizou um teste 'bem-sucedido' com uma bomba de hidrogênio que pode ser carregada no novo míssil balístico intercontinental do país. O teste nuclear provocou um tremor de magnitude 6,3 no território norte-coreano.

Estados Unidos, China, Rússia, Japão, Coreia do Sul, França, Otan e União Europeia condenaram o teste. Eles repudiaram a nova violação das múltiplas resoluções da ONU e exigiram o fim dos programas nuclear e balístico da Coreia do Norte.

Com o teste de domingo, o presidente da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), Yukiya Amano, considerou que a Coreia do Norte se tornou uma "ameaça global".

Nesta segunda, o Ministério da Defesa da Coreia do Sul afirmou que a vizinha Coreia Norte prepara um novo lançamento de míssil.

O ministro da Defesa da Coreia do Sul, Song Young-Moo, afirmou nesta segunda acreditar que a Coreia do Norte miniaturizou com sucesso uma arma nuclear, ao tamanho de uma ogiva. "Acreditamos que entra em um míssil balístico intercontinental", afirmou Song Young-Moo aos deputados no Parlamento, segundo a France Presse.

G1.com.br



Enviar Comentário

O portal PB Agora esclarece aos internautas que o espaço democrático reservado aos comentários é uma extensão das redes sociais e, portanto, não sendo de responsabilidade deste veículo de comunicação. É válido salientar que qualquer exagero, paixão política e infrações à legislação são de responsabilidade de cada usuário, que possui sua própria conta na rede social para se manifestar, não tendo o PB Agora gerenciamento para aprovar, editar ou excluir qualquer comentário. Use o espaço com responsabilidade.