João Pessoa, 21 de Setembro de 2017

14 de Setembro de 2017

Chape e Flamengo ficam no empate

Chape e Flamengo ficam no empate

 Na partida de ida pelas oitavas de final da Copa Sul-Americana, Chapecoense e Flamengo empataram sem gols, nesta quarta-feira, na Arena Condá. Com o resultado, a definição do confronto vai para a próxima semana, na Ilha do Urubu. Quem vencer avança na competição. Um empate com gols classifica os catarinenses.

No primeiro tempo, o Flamengo foi um pouco superior, mas não conseguiu levar muito perigo ao gol de Jandrei. Na etapa final, a Chapecoense melhorou e dominou o duelo. Os donos da casa tiveram duas boas chances de sair de campo com a vitória, mas viu Reinaldo e Penilla errarem o alvo.

O jogo – A partida começou movimentada, com as duas equipes voltadas ao ataque. No entanto, o Flamengo era mais organizado e teve a primeira chance de marcar, aos dez minutos. Após cobrança de escanteio, a bola chegou em Guerrero. O atacante dominou e chutou em cima do volante Moisés Ribeiro.

O Flamengo teve nova chance aos 16 minutos. Guerrero arriscou de fora da área e assustou Jandrei. A resposta da Chapecoense veio em seguida, em chute de longe de Reinaldo.

Com o tempo, os rubro-negros passaram a dominar o confronto. No entanto, os visitantes tinham dificuldade em criar boas jogadas. A Chapecoense só conseguiu levar perigo nos minutos finais. Aos 41 minutos, em avanço rápido, a bola chegou em Alan Ruschel. O meia chutou para boa defesa de Diego Alves. Assim, o jogo foi para o intervalo com o placar inalterado na Arena Condá. No segundo tempo, a Chapecoense voltou melhor e assustou logo aos três minutos. Após cobrança de falta de Reinaldo na área, a bola passou por todos os jogadores e quase foi para a rede. A resposta dos cariocas vieram dois minutos depois. Após cobrança de escanteio, Juan cabeceou para boa defesa de Jandrei.

Após um período de equilíbrio, os visitantes quase abriram o placar aos 14 minutos. Após cobrança falta na área, Réver cabeceou sozinho, mas Jandrei fez grande defesa para salvar os catarinenses. A partida seguia em ritmo morno, com as duas equipes mais preocupadas em não sofrer o gol. Só que aos 29 minutos, a Chapecoense teve a melhor chance do jogo. Penilla chutou de longe, Diego Alves deu rebote, que ficou para Reinaldo. O lateral esquerdo finalizou sozinho, mas muito mal.

O lance animou os donos da casa, que passaram a dominar a partida. A Chapecoense voltou a chegar com perigo aos 39 minutos. Canteros tocou para Luiz Antônio, que chutou cruzado para boa defesa de Diego Alves. O destalho da jogada é que os dois atletas estão no clube catarinense, mas foram emprestados pelo Flamengo.

Nos minutos finais, os catarinense seguiram melhores em campo quase marcaram aos 41 minutos. Penilla fez boa jogada individual, entrou na área e chutou cruzado. A bola passou muito próximo da trave rubro-negra. O susto fez o Flamengo recuar e priorizar a manutenção do empate. A Chapecoense não conseguiu mais criar boas chances e teve que se contentar com a igualdade na Arena Condá.


Sport e Ponte - A Ponte Preta não viu a cor da bola na noite dessa quarta-feira. Em Recife, na Ilha do Retiro, o Sport fez 3 a 1 com sobras na Macaca e abriu boa vantagem nas oitavas de final da Copa Sul-Americana.

A situação poderia ser ainda pior para os campineiros, que ‘acharam’ um gol no fim do jogo e deixaram a situação um pouco menos complicada para o duelo de volta, no Moisés Lucarelli, dia 20.

Sem Emerson Sheik, poupado, Gilson Kleina apostou em Léo Gamalho no ataque ao lado de Lucca. A dupla se deu bem no fim de semana, na incrível reação da Ponte contra o São Paulo no Morumbi. Já Vanderlei Luxemburgo avançou Mena na ponta esquerda e deixou Sander fixo atrás para contar as subidas de Nino Paraíba.

Em campo, a estratégia de Luxemburgo deu mais certo. O primeiro tempo teve poucas chances de gol, mas o Leão ditou o ritmo do confronto, com os visitantes muito tímidos, principalmente na questão ofensiva.

E em dois escanteios o Sport começou a construir sua vitória. Logo aos sete minutos, Diego Souza obrigou Aranha a executar um milagre. No rebote, Ronaldo Alves estufou as redes. A jogada se repetiu aos 44. Dessa vez, o goleirão da Ponte nada pôde fazer depois de bela testada de Rithely.

Na etapa final, Kleina apostou tudo para conseguir ao menos um gol. O time de Campinas ficou exposto e deu diversos contra-ataques para os donos da casa. Aranha trabalhou, Marllon salvou bola em cima da linha, Rithely acertou a trave… Era questão de tempo sair o terceiro gol. E de novo ele veio após um escanteio. Dessa vez, Leo Gamalho afastou mal e deixou a bola limpa para Raul Prata, que só teve o trabalho de cruzar no pé de André. 3 a 0 fácil.

A fatura parecia liquidada, quando Gilson Kleina fez sua última aposta. Claudinho entrou no jogo. E aos 37, o jovem atacante armou o contra-ataque que acabou com a conclusão de Felipe Saraiva para as redes. Um gol que manteve a Ponte Preta viva na briga.

Quarta-feira que vem, a Ponte Preta pode ficar com a vaga se conseguir um 2 a 0 no placar, graças ao gol marcado fora de casa. Mesmo assim, a situação do Sport segue favorável. Um gol do Leão na casa dos paulistas complicará e muito a tarefa da Macaca.

Antes de tudo isso, ambos têm compromisso pelo Campeonato Brasileiro. Domingo o Sport encara o Flamengo no Rio. Um dia antes, a Ponte Preta recebe o Atlético-GO em Campinas.

Gazeta Net



Enviar Comentário

O portal PB Agora esclarece aos internautas que o espaço democrático reservado aos comentários é uma extensão das redes sociais e, portanto, não sendo de responsabilidade deste veículo de comunicação. É válido salientar que qualquer exagero, paixão política e infrações à legislação são de responsabilidade de cada usuário, que possui sua própria conta na rede social para se manifestar, não tendo o PB Agora gerenciamento para aprovar, editar ou excluir qualquer comentário. Use o espaço com responsabilidade.